Vestibulares valorizam a redação


Já faz pelo menos uma década que um bom desempenho em redação virou sinônimo de chances maiores de ser aprovado nos vestibulares mais concorridos do país e, por isso, a valorização da habilidade da escrita é o recado mais claro do perfil do aluno desejado pelas universidades.


Para Maria Bernadete Abaurre, coordenadora-executiva do vestibular da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), a seleção dos candidatos tem também uma função social e política. “Há um diálogo entre provas e alunos. Não queremos o aluno que aceite tudo o que está escrito. Nos recusamos a crer que o jovem não tenha o que dizer”, explica a coordenadora, que cita ainda como resultado dessa valorização da redação a queda significativa no número de provas anuladas.

“A escrita é um instrumento legítimo de cidadania. Quem não tem discurso próprio não tem autonomia”, afirma Cida Custódio, professora do curso Objetivo.

Para o coordenador do vestibular da Vunesp (Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista), Fernando Prado, a dissertação, tipo de texto exigido na maior parte das provas, é a forma principal de comunicação escrita, tanto na universidade como na vida profissional.

A escolha da dissertação pelos vestibulares é estratégica. É o tipo de texto em que a capacidade argumentativa e de reflexão revela o potencial do candidato. Os editoriais dos jornais são boas fontes de inspiração, pois são textos dissertativos, opinativos e que tratam de temas atuais.

 

Fonte: vestibular.uol.com.br