Sobre o Enem 2018…


A prova será realizada em dois domingos consecutivos – dias 4 e 11 de novembro.

No primeiro domingo os candidatos farão as provas de Ciências Humanas (45 questões de geografia, história, filosofia e sociologia) e Linguagens e Códigos (45 questões de língua portuguesa, literatura e língua estrangeira, podendo ser inglês ou espanhol, a depender do que o candidato escolheu no momento da inscrição), além da redação (um texto de prosa dissertativo-argumentativo). No segundo domingo é a vez das provas de Ciências da Natureza (45 questões de biologia, química e física) e Matemática (45 questões).

Com esse espaço de uma semana entre a primeira e a segunda provas, os candidatos poderão descansar, analisar o que funcionou em sua estratégia e revisar conteúdos. Mas é preciso tomar cuidado para que esse tempo não gere ainda mais ansiedade.

“O ideal, na semana entre as provas, é fazer uma revisão leve dos conteúdos mais frequentes nas provas de Matemática e Ciências da Natureza. Nada de desespero, nada de tentar tirar o atraso e ler a apostila inteira. Recomendamos que o estudante revise apenas os principais tópicos e resolva questões de anos anteriores”, recomenda Tony Manzi, professor de biologia e diretor do curso Maximize.

Fique ligado!

  • Caderno personalizado: Os cadernos de prova serão personalizados, com o nome e o número de inscrição do candidato impressos na capa, juntamente com o cartão de resposta, encartado na prova. Segundo o MEC, a medida é para aumentar a segurança do exame. Os quatro cadernos de cores diferentes serão mantidos.
  • Certificação: O exame não serve mais para obter o certificado do Ensino Médio. Essa função passará a ser do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).
  • Isenção da taxa: O MEC será mais rigoroso em relação às isenções de taxa para evitar fraudes. Quem solicita isenção por ter registro no CadÚnico, o banco de dados do governo federal para pessoas em situação de carência socioeconômica, deverá informar o Número de Identificação Social (NIS) no ato da inscrição. Caso um estudante isento da taxa não compareça ao exame, só poderá utilizar o benefício no ano seguinte caso comprove a ausência por meio de documento oficial ou atestado médico.
  • Notas das escolas: O resultado do Enem por escola, a partir das médias dos estudantes no exame, não será mais divulgado. Esse resultado costumava servir de base para a elaboração de ranking de qualidade das escolas. Segundo o MEC, o Enem foi concebido para avaliar estudantes do Ensino Médio e não escolas.

 

Fonte: guiadoestudante.abril.com.br